Páginas

13 de jan de 2011

Rosas de Lúcifer Para ser sincero eu não espero de você mais do que decepção Uma vida de castigo, uma vida sem paixão Minhas declarações de amor foram jogadas no chão E a vida vai seguindo assim, tudo chegando ao fim. Para ser sincero eu não espero de você mais do que punição Angústia e solidão, você sorriu mas sem sentimentos, nem consideração Entrei nos seus sonhos mas nunca entrei no seu coração E a vida vai seguindo assim, tudo chegando ao fim. Para ser sincero eu não espero de você mais do que uma lembrança Uma eterna prisão, vivo isolado de todos contemplando a solidão O anjo de lúcifer trouxe rosas negras para o poeta morrendo no chão E a vida vai seguindo assim, tudo chegando ao fim. Para ser sincero eu não espero de você mais do que uma eterna prisão Quatro paredes servindo a isolação, papel e caneta servindo a maldição Um anjo, um corpo, e rosas declarando um fim de um poeta condenado a sua própria prisão E a vida vai seguindo assim, até chegar o seu triste e inevitável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário