Páginas

21 de fev de 2011

Dentro de mim carrego o muito que vivi e o pouco que conheço. E às vezes tenho a sensação de que não caibo mais aqui dentro, por isso levo pra fora todos os meus eus e posso ser várias, aos meus olhos ou aos seus, mas a essência é uma só, e essa sim, não muda nunca. Sinto nas pequenas entrelinhas e caminho sempre nas linhas explicitamente tortas. Posso ser uma explosão de cores Almodovarianas e, após um suspiro, transformar o meu mundo em um cinza calmo e melancólico. Porque o meu mundo é assim mesmo, igual ao de todo mundo: ambíguo e irremediavelmente inconstante.
Eu paro para pensar, e vejo que o que eu achava que era perfeito, não é tão perfeito assim. Essa vida, é uma montanha-russa. Sobe e desce todo dia, e mudamos de opnião todo segundo. Por mais rodeada de pessoa que estejamos, a única coisa que nos acompanha são as lembranças, as recordações. Elas estarão sempre no coração ! Está tudo bagunçado, mas memo que nada esteja como eu quero, vou vivendo e tentando ser feliz, por que isso. É o que mais importa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário