Páginas

28 de mai de 2011

O amor, eu não conheço, e é exatamente por isso que o desejo e me jogo do seu abismo, me aventurando ao seu encontro. A vida só existe quando o amor a navega, morrer de amor é a substância de que a vida é feita, ou melhor, só se vive no amor, e a língua do amor é a língua que eu falo e escuto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário